Notícias

monitoramento preventivo ambiental

Qual a importância do monitoramento preventivo ambiental?

4 de novembro de 2021

Sua empresa realiza todas as atividades de acordo com a legislação ambiental? 

O Monitoramento Preventivo Ambiental, no estado de São Paulo, deve ser realizado de acordo com as diretrizes da CETESB (Companhia Ambiental do Estado de São Paulo), contidas na Decisão de Diretoria Nº 038/2017/C. Nele, foi estabelecido a obrigatoriedade da instauração de um Programa de Monitoramento Preventivo em todas as áreas que possuam potencial de contaminação – seja no solo ou águas subterrâneas, de acordo com alguns critérios. 

Neste artigo, você vai entender a importância deste trabalho para o Gerenciamento de Áreas Contaminadas. Veja também algumas recomendações para criar um programa de monitoramento preventivo adequado, de acordo com todas as orientações da CETESB.

Por que elaborar um Programa de Monitoramento Preventivo

Muito mais que evitar multas e interdições, investir no monitoramento preventivo ambiental é garantir de forma preventiva o impacto de uma contaminação, agindo rapidamente com a mitigação. Também é possível promover um ambiente de trabalho cada vez mais seguro e saudável para o desenvolvimento das atividades dos colaboradores, em todas as esferas.

Para criar um Programa de Monitoramento Preventivo de qualidade e que seja aprovado pela CETESB, é preciso seguir algumas etapas específicas. Outro ponto crucial é garantir que este seja gerenciado e realizado por um responsável técnico habilitado, designado pelo responsável legal. O acompanhamento das atividades, confirmando o cumprimento das exigências previstas neste procedimento, por meio da avaliação dos relatórios apresentados, é de responsabilidade da CETESB.

Dentre as etapas realizadas no programa de monitoramento preventivo, podemos citar:

  • Caracterização da pedologia, a geologia e a hidrogeologia local;
  • Identificação da Área com Potencial de Contaminação;
  • Localização dos pontos e as profundidades de amostragem de solo, justificando-as em função da localização das fontes potenciais de contaminação;
  • Definição dos métodos de amostragem e de preservação das amostras, bem como o programa de controle de qualidade para a amostragem e transporte das amostras; 
  • Definição do cronograma do monitoramento preventivo;
  • Realização de amostragem de solo na caracterização inicial da área.  

Depois de todo o programa realizado, o responsável deve produzir um relatório com todos os resultados obtidos e apresentar num arquivo digital para a CETESB – e deve seguir todas as orientações oferecidas pelo órgão ambiental. Dentre as exigências estão os mapas potenciométricos por campanha de amostragem, descrição das técnicas utilizadas na amostragem, apresentação dos resultados em tabelas, ações efetivas adotadas e laudos analíticos devidamente assinados pelo profissional responsável pelas análises. 

Para evitar problemas durante a aprovação do relatório do Programa de Monitoramento Preventivo, o melhor é contar com uma equipe especializada para sua elaboração. Assim, você tem mais agilidade e assertividade para ficar em conformidade com as legislações vigentes. 

A Stricto Soluções Ambientais tem expertise de sobra para oferecer a consultoria ideal para a realização de programas de monitoramento preventivo ambiental. Afinal, nosso time é qualificado em todas as etapas do Gerenciamento de Áreas Contaminadas e está a sua disposição, independentemente do tamanho ou segmento da sua empresa. Solicite um contato e conte com quem realmente entende do assunto.